quinta-feira, 26 de maio de 2016

Pira Olímpica é acessa em Senhor do Bonfim, depois de mais um concorrido dia de revezamento

Para esta quinta-feira, feriado de Corpus Cristhi a Tocha irá percorrer as cidades de Jaguarari, Juazeiro e Sobradinho.

toca em senhor do bonfim
A Tocha Olímpica completou uma semana percorrendo cidades baianas nesta quarta-feira, 25, depois de passar por Feira de Santana, Riachão do Jacuípe e Capim Grosso, e tinha como destino final (do dia) a cidade de Senhor do Bonfim distante cerca de 270 km de Feira de onde saiu às 09h. As cidades citadas tiveram um dia chuvoso, mas não impediu que as pessoas assistissem a passagem da tocha, mas em Senhor do Bonfim, sim.
fogo em senhor do bonfim
A chuva na cidade bonfinense não foi nenhuma simples garôa, por outro, o Parque da Cidade, local escolhido para a grande concentração, apesar de espaçoso, fugiu a regra que vinha sendo aplicada em todos municípios que receberam a Tocha no centro da cidade. Mas quem esperou deve ter ficado satisfeito pelo momento que o professor  Jean Kerll ascendeu a Pira Olímpica, momento bastante comemorado pelo público presente.
fogo em senhor do bonfim.2
O Espaço Gonzagão do Parque da Cidade teve outras atividades que antecederam a chegada do fogo olímpico, tendo começado às 15h com apresentações culturais, show com grupo Palpite, 18h foi a vez do marketing, as empresas patrocinadoras “venderam seus peixes”e distribuíram brindes e finalizou com Cicinho de Assis.
Para esta quinta-feira, feriado de Corpus Cristhi a Tocha irá percorrer as cidades de Jaguarari, Juazeiro e Sobradinho.
Redação CN/ Fotos: Raimundo Mascarenhas

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Itiúba: Comunidade De Alegre De Picos Recebe Banheiros

Um grupo de aliados do prefeito BNAGA, depois de o mesmo ter anunciado sua pré-candidatura, seguiram para a localidade de Picos onde na comunidade de vizinha de alegre realizaram a entrega de banheiros pra os moradores.

Varias pessoas do grupo usaram a  palavra e  todos reafirmaram  a necessidade de continuar defendendo os programa sociais que chegam ao município e transformam as condições de vida da população.

Os moradores em clima de alegria e felicidade agradeceram a visita do grupo, más também foi um momento de os presentes fazerem cobranças as autoridades.


 
 















Política: Banga Anuncia Sua Pré-candidatura a Reeleição

Na manha desta quarta, 25 o prefeito de Itiúba (PT),em companhia do presidente de seu partido participara de um programa de Rádio onde a dupla, Prefeito e Presidente do PT anunciaram a posição do partido que é de encabeçar a chapa majoritária para o próximo pleito.
Jorge Silva destacou a importância de Itiúba continuar com uma gestão encabeçada pelo partido dos Trabalhadores. Silva reconheceu outros nomes da base aliada, que pretendem, mas que segundo ele a prerrogativa é do atual prefeito, e que já estão conversando com os demais partidos no sentido forma uma ampla frente. 

Já o Próprio BANGA disse que o momento é de união em defesa de um projeto que vem realizando muitas conquista no município. Também afirmou que quando iniciou o seu Governo muito achavam que ele seria manipulado por alguém, que já vinha com outras experiências ,mas que teve que adaptar o governo as sua minha ideias .Afirmou .

MISTÉRIO: CORPO É ENCONTRADO ENTERRADO EM GENIPAPO NO MUNICÍPIO DE MONTE SANTO


O corpo de um homem ainda não identificado foi encontrado no final da tarde desta-terça(24) em uma roça às margens da BA-120 a cerca de dois quilômetros do povoado de Genipapo em Monte Santo.

De acordo com informações, um senhor ao averiguar sua propriedade rural que fica entre os povoados de Genipapo e Várzea dos Bois, se deparou com muitas palhas de licurizeiro empilhada em um único local e ao levantar algumas delas, percebeu um corpo enterrado apenas com os joelhos de fora.

Alguns moradores na angústia e com a demora da chegada da polícia, cavaram e desenterraram o corpo que estava com mãos amarradas de fita adesiva, pernas quebradas, supostamente a golpes de facão e muitos sinais de tortura. Acredita-se que a vítima pode ter sido morta e enterrada na segunda ou até mesmo na terça-feira.

O cadáver foi foi removido pela equipe do Departamento de Polícia Técnica Para o IML (Instituto Médico Legal) de Euclides da Cunha.

Portaldenoticias.net

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Bomba: Ministro Jucá fala em deter a Lava Jato

Bomba: Ministro Jucá fala em deter a Lava Jato
Bomba: Ministro Jucá fala em deter a Lava Jato – Foto: Igo Estrela/PMDB
Diálogos gravados entre Romero Jucá (PMDB-RR) e o presidente da Transpetro, Sérgio Machado, dão conta de que o senador licenciado e hoje ministro do Planejamento de Temer propôs um pacto para “estancar a sangria”, representada pela Lava Jato. E falaram em pacto até com o STF para obter “a paz”.
O Jucá fala em acordo nacional para proteger o Temer, o PMDB, o PSDB. A Lava Jato, como sempre, precisa ferrar o PT e com a Dilma fora!
Saiu na Folha de S.Paulo:

Em diálogos gravados, Jucá fala em pacto para deter avanço da Lava Jato
Em conversas ocorridas em março passado, o ministro do Planejamento, senador licenciado Romero Jucá (PMDB-RR), sugeriu ao ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado que uma “mudança” no governo federal resultaria em um pacto para “estancar a sangria” representada pela Operação Lava Jato, que investiga ambos.
Gravados de forma oculta, os diálogos entre Machado e Jucá ocorreram semanas antes da votação na Câmara que desencadeou o impeachment da presidente Dilma Rousseff. As conversas somam 1h15min e estão em poder da PGR (Procuradoria-Geral da República).
O advogado do ministro do Planejamento, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirmou que seu cliente “jamais pensaria em fazer qualquer interferência” na Lava Jato e que as conversas não contêm ilegalidades.
Machado passou a procurar líderes do PMDB porque temia que as apurações contra ele fossem enviadas de Brasília, onde tramitam no STF (Supremo Tribunal Federal), para a vara do juiz Sergio Moro, em Curitiba (PR).
Em um dos trechos, Machado disse a Jucá: “O Janot está a fim de pegar vocês. E acha que eu sou o caminho. […] Ele acha que eu sou o caixa de vocês”.
Na visão de Machado, o envio do seu caso para Curitiba seria uma estratégia para que ele fizesse uma delação e incriminasse líderes do PMDB.
Machado fez uma ameaça velada e pediu que fosse montada uma “estrutura” para protegê-lo: “Aí fodeu. Aí fodeu para todo mundo. Como montar uma estrutura para evitar que eu ‘desça’? Se eu ‘descer’…”.
Mais adiante, ele voltou a dizer: “Então eu estou preocupado com o quê? Comigo e com vocês. A gente tem que encontrar uma saída”.
Machado disse que novas delações na Lava Jato não deixariam “pedra sobre pedra”. Jucá concordou que o caso de Machado “não pode ficar na mão desse [Moro]”.
O atual ministro afirmou que seria necessária uma resposta política para evitar que o caso caísse nas mãos de Moro. “Se é político, como é a política? Tem que resolver essa porra. Tem que mudar o governo para estancar essa sangria”, diz Jucá, um dos articuladores do impeachment de Dilma. Machado respondeu que era necessária “uma coisa política e rápida”.
“Eu acho que a gente precisa articular uma ação política”, concordou Jucá, que orientou Machado a se reunir com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e com o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP).
Machado quis saber se não poderia ser feita reunião conjunta. “Não pode”, disse Jucá, acrescentando que a ideia poderia ser mal interpretada.
O atual ministro concordou que o envio do processo para o juiz Moro não seria uma boa opção. “Não é um desastre porque não tem nada a ver. Mas é um desgaste, porque você, pô, vai ficar exposto de uma forma sem necessidade.”
E chamou Moro de “uma ‘Torre de Londres'”, em referência ao castelo da Inglaterra em que ocorreram torturas e execuções entre os séculos 15 e 16. Segundo ele, os suspeitos eram enviados para lá “para o cara confessar”.
Jucá acrescentou que um eventual governo Michel Temer deveria construir um pacto nacional “com o Supremo, com tudo”. Machado disse: “aí parava tudo”. “É. Delimitava onde está, pronto”, respondeu Jucá, a respeito das investigações.
O senador relatou ainda que havia mantido conversas com “ministros do Supremo”, os quais não nominou. Na versão de Jucá ao aliado, eles teriam relacionado a saída de Dilma ao fim das pressões da imprensa e de outros setores pela continuidade das investigações da Lava Jato.
Jucá afirmou que tem “poucos caras ali [no STF]” ao quais não tem acesso e um deles seria o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no tribunal, a quem classificou de “um cara fechado”.
Machado presidiu a Transpetro, subsidiária da Petrobras, por mais de dez anos (2003-2014), e foi indicado “pelo PMDB nacional”, como admitiu em depoimento à Polícia Federal. No STF, é alvo de inquérito ao lado de Renan Calheiros.
Dois delatores relacionaram Machado a um esquema de pagamentos que teria Renan “remotamente, como destinatário” dos valores, segundo a PF. Um dos colaboradores, Paulo Roberto Costa disse que recebeu R$ 500 mil das mãos de Machado.
Jucá é alvo de um inquérito no STF derivado da Lava Jato por suposto recebimento de propina. O dono da UTC, Ricardo Pessoa, afirmou em delação que o peemedebista o procurou para ajudar na campanha de seu filho, candidato a vice-governador de Roraima, e que por isso doou R$ 1,5 milhão.
O valor foi considerado contrapartida à obtenção da obra de Angra 3. Jucá diz que os repasses foram legais.
Leia trechos do diálogo:
Data das conversas não foi especificada
SÉRGIO MACHADO – Mas viu, Romero, então eu acho a situação gravíssima.
ROMERO JUCÁ – Eu ontem fui muito claro. […] Eu só acho o seguinte: com Dilma não dá, com a situação que está. Não adianta esse projeto de mandar o Lula para cá ser ministro, para tocar um gabinete, isso termina por jogar no chão a expectativa da economia. Porque se o Lula entrar, ele vai falar para a CUT, para o MST, é só quem ouve ele mais, quem dá algum crédito, o resto ninguém dá mais credito a ele para porra nenhuma. Concorda comigo? O Lula vai reunir ali com os setores empresariais?
MACHADO – Agora, ele acordou a militância do PT.
JUCÁ – Sim.
MACHADO – Aquele pessoal que resistiu acordou e vai dar merda.
JUCÁ – Eu acho que…
MACHADO – Tem que ter um impeachment.
JUCÁ – Tem que ter impeachment. Não tem saída.
MACHADO – E quem segurar, segura.
JUCÁ – Foi boa a conversa mas vamos ter outras pela frente.
MACHADO – Acontece o seguinte, objetivamente falando, com o negócio que o Supremo fez [autorizou prisões logo após decisões de segunda instância], vai todo mundo delatar.
JUCÁ – Exatamente, e vai sobrar muito. O Marcelo e a Odebrecht vão fazer.
MACHADO – Odebrecht vai fazer.
JUCÁ – Seletiva, mas vai fazer.
MACHADO – Queiroz [Galvão] não sei se vai fazer ou não. A Camargo [Corrêa] vai fazer ou não. Eu estou muito preocupado porque eu acho que… O Janot [procurador-geral da República] está a fim de pegar vocês. E acha que eu sou o caminho.
 […]
JUCÁ – Você tem que ver com seu advogado como é que a gente pode ajudar. […] Tem que ser política, advogado não encontra [inaudível]. Se é político, como é a política? Tem que resolver essa porra… Tem que mudar o governo pra poder estancar essa sangria.
 […]
MACHADO – Rapaz, a solução mais fácil era botar o Michel [Temer].
JUCÁ – Só o Renan [Calheiros] que está contra essa porra. ‘Porque não gosta do Michel, porque o Michel é Eduardo Cunha’. Gente, esquece o Eduardo Cunha, o Eduardo Cunha está morto, porra.
MACHADO – É um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional.
JUCÁ – Com o Supremo, com tudo.
MACHADO – Com tudo, aí parava tudo.
JUCÁ – É. Delimitava onde está, pronto.
[…]
MACHADO – O Renan [Calheiros] é totalmente ‘voador’. Ele ainda não compreendeu que a saída dele é o Michel e o Eduardo. Na hora que cassar o Eduardo, que ele tem ódio, o próximo alvo, principal, é ele. Então quanto mais vida, sobrevida, tiver o Eduardo, melhor pra ele. Ele não compreendeu isso não.
JUCÁ – Tem que ser um boi de piranha, pegar um cara, e a gente passar e resolver, chegar do outro lado da margem.
*
MACHADO – A situação é grave. Porque, Romero, eles querem pegar todos os políticos. É que aquele documento que foi dado…
JUCÁ – Acabar com a classe política para ressurgir, construir uma nova casta, pura, que não tem a ver com…
MACHADO – Isso, e pegar todo mundo. E o PSDB, não sei se caiu a ficha já.
JUCÁ – Caiu. Todos eles. Aloysio [Nunes, senador], [o hoje ministro José] Serra, Aécio [Neves, senador].
MACHADO – Caiu a ficha. Tasso [Jereissati] também caiu?
JUCÁ – Também. Todo mundo na bandeja para ser comido.
[…]
MACHADO – O primeiro a ser comido vai ser o Aécio.
JUCÁ – Todos, porra. E vão pegando e vão…
MACHADO – [Sussurrando] O que que a gente fez junto, Romero, naquela eleição, para eleger os deputados, para ele ser presidente da Câmara? [Mudando de assunto] Amigo, eu preciso da sua inteligência.
JUCÁ – Não, veja, eu estou a disposição, você sabe disso. Veja a hora que você quer falar.
MACHADO – Porque se a gente não tiver saída… Porque não tem muito tempo.
JUCÁ – Não, o tempo é emergencial.
MACHADO – É emergencial, então preciso ter uma conversa emergencial com vocês.
JUCÁ – Vá atrás. Eu acho que a gente não pode juntar todo mundo para conversar, viu? […] Eu acho que você deve procurar o [ex-senador do PMDB José] Sarney, deve falar com o Renan, depois que você falar com os dois, colhe as coisas todas, e aí vamos falar nós dois do que você achou e o que eles ponderaram pra gente conversar.
MACHADO – Acha que não pode ter reunião a três?
JUCÁ – Não pode. Isso de ficar juntando para combinar coisa que não tem nada a ver. Os caras já enxergam outra coisa que não é… Depois a gente conversa os três sem você.
MACHADO – Eu acho o seguinte: se não houver uma solução a curto prazo, o nosso risco é grande.
*
MACHADO – É aquilo que você diz, o Aécio não ganha porra nenhuma…
JUCÁ – Não, esquece. Nenhum político desse tradicional ganha eleição, não.
MACHADO – O Aécio, rapaz… O Aécio não tem condição, a gente sabe disso. Quem que não sabe? Quem não conhece o esquema do Aécio? Eu, que participei de campanha do PSDB…
JUCÁ – É, a gente viveu tudo.
*
JUCÁ – [Em voz baixa] Conversei ontem com alguns ministros do Supremo. Os caras dizem ‘ó, só tem condições de [inaudível] sem ela [Dilma]. Enquanto ela estiver ali, a imprensa, os caras querem tirar ela, essa porra não vai parar nunca’. Entendeu? Então… Estou conversando com os generais, comandantes militares. Está tudo tranquilo, os caras dizem que vão garantir. Estão monitorando o MST, não sei o quê, para não perturbar.
MACHADO – Eu acho o seguinte, a saída [para Dilma] é ou licença ou renúncia. A licença é mais suave. O Michel forma um governo de união nacional, faz um grande acordo, protege o Lula, protege todo mundo. Esse país volta à calma, ninguém aguenta mais. Essa cagada desses procuradores de São Paulo ajudou muito. [referência possível ao pedido de prisão de Lula pelo Ministério Público de SP e à condução coercitiva ele para depor no caso da Lava jato]
JUCÁ – Os caras fizeram para poder inviabilizar ele de ir para um ministério. Agora vira obstrução da Justiça, não está deixando o cara, entendeu? Foi um ato violento…
MACHADO –…E burro […] Tem que ter uma paz, um…
JUCÁ – Eu acho que tem que ter um pacto.
[…]
MACHADO – Um caminho é buscar alguém que tem ligação com o Teori [Zavascki, relator da Lava Jato], mas parece que não tem ninguém.
JUCÁ – Não tem. É um cara fechado, foi ela [Dilma] que botou, um cara… Burocrata da… Ex-ministro do STJ [Superior Tribunal de Justiça].

quarta-feira, 18 de maio de 2016

ITIÚBA: SCANIA CEGONHA FICA ENTALADA NO DESVIO DA PONTE VELHA NA BA 381


Uma Scania Cegonha ficou entalada no desvio da Ponte Velha na BA - 381 sentido Itiúba a Filadélfia.

Como sempre a falta de sinalização tumultuou o trecho, pois motoristas não conseguiam passar e os mais corajosos se atreviam até a passar por um desvio "armengado" pelo trajeto da Ponte Caída, porém o trecho está começando a afundar.

A situação do desvio improvisado e ditado como "temporário" por parte da administração pública, está dando sinais de fragilidade em sua estrutura, como mostra a foto acima.

Até o presente momento nenhuma ação foi realizada no sentido de reconstrução da Ponte. Enquanto isso as pessoas que necessitam trafegar pela região continuam a arriscar suas vidas tanto pela estrutura precária do desvio, quanto o aumento da criminalidade no trecho onde já foram registrados vários casos de assaltos e o policialmente é inexistente.



Imagens Silvana Morais

ANTÔNIO GONÇALVES: Por decisão da Justiça vereador Ribeiro retorna a câmara nesta quarta feira

EM  - REGIONAL | DEIXAR COMENTÁRIO  
Foto: AGNoticia
O suplente de vereador, Sérgio Santos, aproveitou a sessão da última quarta-feira (10), para se despedir dos colegas, e agradecer a Deus pelo período em que esteve na Câmara de Antônio Gonçalves, “Eu sempre disse que ficaria aqui até o dia que Deus permitisse. Disseram que eu iria ficar nessa casa apenas dois dias, mas hoje, estão completando exatamente 105 dias que estou nesta casa. Quero dizer que Sérgio Santos continuará trabalhando, seja como vereador ou fora da câmara, mas o trabalho vai continuar” disse Sérgio Santos.
No mês de Fevereiro, Sérgio Santos assumiu uma cadeira na câmara no lugar do vereador, Ribeiro do Caldeirão, afastado do cargo  por ter ultrapassado o limite de faltas, ou seja, foram computadas em apenas um ano o total de 12 faltas em 2014.
Foto: AGNoticia
O vereador Ribeiro do Caldeirão, assim que foi afastado do cargo, ingressou na Justiça com liminar, solicitando que a decisão do presidente fosse anulada, segundo o parlamentar, o presidente seguiu o regimento interno, quando diz que em caso de perca de mandato quem afasta o vereador é o presidente, já a Lei Orgânica, afirma que a decisão em caso de cassação a mesa é quem deve proceder o julgamento. Como a Lei Orgânica é superior ao regimento interno, a Justiça decidiu retornar Ribeiro ao cargo de vereador.   O Ministério Publico também deu parecer favorável ao retorno de Ribeiro.
Na última quarta-feira (10), o presidente da casa, Amilton Matos (Vuzinha), recebeu notificação da Justiça de Campo Formoso, aonde foi dado a ele prazo de 72 horas para que o mesmo retornasse ao cargo o vereador Ribeiro do Caldeirão, sob pena de multa diária no valor de R$ 1.000,00 (hum mil reais) em caso de desobediência.
Para o suplente Sérgio Santos,  caso queira  voltar a casa ainda esse ano, resta ao mesmo,   recorrer em segunda instância, ou quem sabe, uma outra denuncia encaminhada a câmara, solicitando que dessa vez, não o presidente proceda o afastamento, mas sim, a mesa da casa.
Por ivansilvanoticia